1. Gênero, raça e classe: diálogos entre historiografia e interseccionalidades.

Ministrante: Gleice Pereira da Silva, mestranda pelo Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

Duração de 2h.

Os estudos que tratam das convergências entre diversos marcadores sociais da diferença, também chamados estudos interseccionais, ganharam força e legitimação acadêmica no final da década de 1980. As feministas negras americanas perceberam que as desigualdades às quais estavam submetidas operavam em complexos entrelaçamentos entre gênero, raça, classe, sexualidade, idade e outros. O ponto inicial desse debate foi a rejeição à homogeneização do feminismo da chamada “segunda onda”, que insistia na igualdade entre as mulheres sem levar em consideração as diversas convergências de opressões as quais estavam submetidas às mulheres negras. Partindo da militância das ruas para a academia, a interseccionalidade é na contemporaneidade um hit entre antropólogas e sociólogas. No entanto, entre as historiadoras permanece com um status quase marginal. Sendo assim, a oficina pretende abordar o desenvolvimento dos estudos de gênero entre as historiadoras e os limites e potencialidades da interseccionalidade para a pesquisa histórica.

© 2017 por CPDHis - Centro de Pesquisa e Documentação Histórica - ICHCA - UFAL. Maceió - Alagoas - Brasil.